Estudo urodinâmico

 

O estudo urodinâmico (ou urodinâmica completa) é um exame realizado pelo urologista para avaliar os fatores fisiológicos e patológicos envolvidos no armazenamento e esvaziamento do trato urinário inferior, determinando o funcionando da bexiga, esfíncter uretral e uretra.

 

O exame determina a capacidade da bexiga de armazenar urina, a pressão no interior da bexiga durante o enchimento, a força de contração vesical durante a micção, a presença de obstrução para a saída de urina ou perdas urinárias (incontinência), a ocorrência de contrações involuntárias (bexiga hiperativa), e se fica resíduo de urina na bexiga após o esvaziamento.

 

Portanto, é possível fazer diagnóstico de obstrução ao fluxo urinário (como crescimento benigno da próstata), de perda urinária (incontinência), doenças neurológicas (bexiga neurogênica) e outros.

 

Como é realizado o exame

 

É um exame indolor, com duração de 40 a 50 minutos. São introduzidas duas sondas - uma na bexiga (pela uretra) e uma no reto (pelo ânus) - que são conectadas a um computador.

 

O exame consiste em três partes principais:

 

1- Urofluxometria: é a primeira parte do exame, realizada antes da passagem das sondas. O paciente urina em um recipiente adequado e é avaliada a velocidade do jato urinário.

 

2- Enchimento vesical (cistometria): após a passagem de uma sonda urinária e uma sonda retal, é realizado o enchimento lento da bexiga com soro fisiológico, sendo concomitantemente avaliado as pressões intravesical (através de um transdutor de pressão presente no mesmo catéter vesical) e intraabdominal (através da sonda retal).

 

3- Fase miccional (estudo pressão-fluxo): é pedido ao paciente para urinar novamente no recipiente (desta vez ainda com as sondas inseridas) para avaliar a função da bexiga durante a micção e curvas de pressão/fluxo, ou seja, a relação entre as pressões intravesicais e o fluxo urinário.

 

Indicações do exame

 

- perda urinária aos esforços ou espontânea (incontinência urinária);

- frequência urinária aumentada (bexiga hiperativa);

- investigação de jato urinário fraco (como hiperplasia da próstata);

- prolapso (bexiga, útero ou reto);

- alterações urinária em paciente com passado de cirurgia pélvica ou radioterapia;

- planejamento pré-operatório (para sling ou ressecção endoscópica da próstata);

- confirmar o efeito de uma intervenção cirúrgica;

- investigar falha de um tratamento realizado;

 

Orientações para o exame

 

A urodinâmica está contra-indicada quando há infecção urinária (ardência ou dor para urinar) e na menstruação, por isso é importante levar um exame de urina recente no dia do exame.

 

Para avaliar a fase de Urofluxometria, é importante que o paciente esteja com a vontade de urinar (bexiga cheia).

 

Este exame é importante para avaliar a função miccional do paciente antes e/ou depois de uma cirurgia e definir a indicação do uso de medicamentos para controle de incontinência urinária.
 

Saiba mais.

 

Entre em contato e agende seu exame.

 

Leia aqui o Termo de Consentimento.

 

Dr. Luciano Casali - Teófilo Otoni, MG

 


Copyright  - Dr. Luciano Casali © 2018

­

gallery/urofluxo
gallery/urodinamica1
gallery/urodinamica 2
Cistoscopia
gallery/urodinamica uranus

Urofluxometria

Cistometria e estudo pressão-fluxo

Gráficos obtidos no exame

Aparelho de urodinâmica com bomba de infusão